El Spanglish

Tal e como nós temos o portunhol e não nos envergonhamos dele, os espanhóis têm o spanglish. A verdade é que eles não falam inglês e a maioria dos espanhóis que diz que fala, fala mal.

Existem algumas coisas chochantes, como por exemplo escutá-los dizer "Udos", no lugar de "Iutchu", ou "Wifi", em vez de "Uaifai". Mas mais chocante ainda é você dizer "Aipéd" e as pessoas ficarem te olhando com cara de "hummmm olha essa querendo mostrar que sabe", ou combinar de ir em um "Airish Pãb" e ver a caras deles de "hein, o quê"? E vc repetir Airish Airish Airish até que o cabra diga: "Ahhhhh, Irish Pub", com o I sendo I e o U sendo U.

Essas coisas são complexas. Tem gente que diz que é de propósito, mas temos que lembrar que eles viveram em uma ditadura militar durante muitos anos e o inglês não era um idioma necessário, cotidiano, nem usual para os espanhóis. Além disso, antes da ditadura franquista, que terminou em 1975, eles viveram uma Guerra Civil, que terminou em 1939. Depois que Franco morreu, veio o Rei que provavelmente só fale espanhol mesmo, e bom... o inglês é algo que deve existir por aqui há pouquíssimo tempo.

Por causa do protecionismo cultural normal nas ditaduras, a música, o cinema ou os livros americanos (e de qualquer outro país) não eram comuns e muitos deles chegavam à Espanha através de civis que viajavam e traziam as novidades nas suas malas. O cinema até hoje é dublado, e para nós, que gostamos dos filmes em versão original, acaba sendo complicado encontrar salas onde vê-los. É sério, até nos cinemas os filmes são dublados. E o mais estranho é que a maioria dos espanhóis defendem a dublagem, até aquela pessoa bem legal que você imagina como o cool de plantão. E o pior é que vários estão orgulhosos da dublagem espanhola: "Temos os melhores dubladores do mundo"... já cansei de ouvir. E de discutir também, né? Deixa eles...

O fato é que por causa de tudo isso, os espanhóis têm bem pouco contato com a língua do Tio Sam. E com a cultura também. Claro que existem Mc Donald´s e Starbucks por aqui, mas a maioria dos espanhóis vão preferir as suas cafeterias de bairro e o bocadillo de calamares do boteco da esquina.

Claro que as coisas estão mudando devagarzinho e o inglês pouco a pouco vai fazendo parte do cotidiano. Por exemplo, ontem fui almoçar no Vip´s com o Alberto e ele pediu o prato "Vips Club", eu pedi o "Vips Club Neiture".
O mocinho anotou o pedido dizendo: "Media ensalada Siciliana, un Vips Club y un Vips Club Na-tu-re". Nature, com o A, o U, e o R bem pronunciadinhos como se fosse em espanhol.

É que dá a impressão de que eles estão se abrindo e que querem aprender... mas quando você fala diferente, o orgulho espanhol parece ficar ferido. Por causa disso, nessa minha aventura imigrante, eu sou dessas que começou a falar Ratón mesmo sentindo dor de ouvido e a delícia (?) ao escutá-los dizer que adoraram el concierto del ACÊ/DÊCÊ.

4 comentarios:

  1. mr.gelk disse...:

    Jajaja muy bueno de verdad, pero permíteme corregir algo que hace la situación aún más grave. No dicen "Irish Pub" con la I siendo I y la U siendo U, ojalá. Al menos en Madrid es "Irish paff". No sé de dónde pudieron haber sacado que "pub" se podía pronunciar "PAFF" en vez de "Airish Pãb".

  1. Bien, Gabo, Bien!
    es un fenomeno de España, ya que la mayor parte de mis amigos latinos dicen Pãb, Neiture y YouTwo perfectamente.
    ;)

    Nos tendrán que dar las gracias, por el pionerismo en romper con su fea costumbre de asesinar el inglés.

    por cierto, todo un lujo verte por aquí. Gracias!

  1. Fausto disse...:

    ¡Qué grande! Has clavado como decimos U-dos, y ACEDECE jajajaaj (no me lo había planteado nunca y me hace gracia). Hoy he venido a darte la brasa (o lo que es lo mismo, mi opinión).

    Creo como tú que la causa de que no nos hayan colonizado tanto como al resto ha sido la "autarquía" que hubo por aquí en tiempos de "Paquito". Ya que, hasta hace bien poco, nadie sabia hablar guiri por aquí (aún menos que ahora jaja). No lo enseñaban en el colegio, "ni hacía falta" para trabajar...

    Por otro lado, he de confesar que "sufro" cuando se anglifican términos innecesariamente, por poner un ejemplo, en mi mundillo baloncestístico se tiende mucho a decir "Pick and Roll", cuando tenemos la expresión española "Bloqueo y continuación"...

    Soy partidario de, si no existe un término en español, españolizar la palabra desde su idioma original. Esto se ha hecho siempre tanto en español como en portugués (y en todas las lenguas), y es lo natural... ejemplo: Azúcar (ES) y Açúcar (PT) vienen de السكر (As-sucar).

    Una última chorrada y ya me callo :P, en yanquilandia dicen "mayami" en vez de "miami" (que es como se debería decir, respetando el origen español de la palabra, ¿no?) Lo mismo con "méksicou" (que debería leerse, se escriba como se escriba, "méjico"). Mejor ejemplo aún, el nombre del casino de la serie "las Vegas" (creo que se titula así), se llama "Montecito" y pronuncian algo así como "Monesidou"... xD

    Y... ¡Tenemos el mejor doblaje del mundo! (Aunque yo soy más de V.O.)

  1. Andrea disse...:

    Esta é a mais pura verdade da Espanha e da Catalunya tb!! Experiência própria. jjajaa Tô amando o blog. Besotes

Postar um comentário