Brigas de vizinhos

Não gosto de generalizar, mas essa coisa almodovariana de espanhóis gritando e discutindo, utilizando palavras de baixo calão com naturalidade e ofendendo-se mutualmente pode ser bastante real.

Quem passa por este quase-blog sabe que eu sempre comento que aqui dizem "a tomar por culo" na TV, às 4 da tarde, sem pudor, medo ou vergonha. Eles falam "mierda" no ambiente de trabalho e utilizam expressões como "gilipollas" como quem diz que tá #chatiado. O volume médio da voz da galera também é bastante elevado, o que se nota imediatamente nos bares, restaurantes ou dentro do ônibus, quando você escuta a vida inteira da tiazona que tá falando pelo celular. Isso às vezes irrita, mas quando você acorda de bom humor, pode ser bem engraçado.

O legal é que eles expressam tudo, jogam pra fora, batem boca, lavam a roupa suja onde for. Gritaria e confusão no meio da avenida.

Hoje encontrei este post, que me fez, literalmente, chorar de rir. Talvez só seja engraçado pra quem mora ou morou aqui, porque é tão surreal que é até difícil acreditar que realmente acontece. Mas é assim: eles são tão, mas tão briguentos, que são capazes de dizer todos os palavrões e gritos para os seus vizinhos em pequenos cartazinhos colados nas paredes dos seus edifícios - além de destapar situações quase tão absurdas quanto os cartazes em si (clique nas imagens para poder vê-las em tamanho maior).




Para os ladrões de papel higiênico, desejamos.... (mas antes, contamos nossa vida...)


"Pues no me has pillado" - "Você não me pegou"



 


 
 
 
 
Pra quem gostou, tem mais neste Tãmbler
 
 

4 comentarios:

  1. Sandra B. disse...:

    Eu li ontem o post pelo google reader. Estava no metro e ao meu lado havia um casal com mais de 50 anos que decidiam se continuariam o romance secreto, se contavam tudo ao marido dela, ou se fugiam ao Brasil, terra natal do senhor.
    Essa foi a conversa mais surreal que já ouvi em um metro, que acho que são o catalizador de toda loucura das cidades grandes.
    No caso de Madrid, a loucura é multiculural, transnacional e rompe com o clique que o amor é para jovens.
    Com o ouvido na conversa, os olhos no seu post, eu me senti contaminada por Espanha em todos os sentidos.

    beijos

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.
  1. Sandra, eles se jogam, falam o que pensam, gritam com paixão!

    que bom que vc achou que consegui mostrar um pouquinho daqui neste post :)
    um beijo!!!

  1. Willian Bugiga disse...:

    A paz de Cristo,gostaria de indicar meu blog:willian bugiga e o site:www.convertidos.com.br
    A paz esteja em sua casa.

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget